Ataque de militantes a campo do Exército da Índia na Caxemira deixa um morto

Por Fayaz Bukhar

SRINAGAR, Índia (Reuters) - Ao menos seis militantes atacaram um campo do Exército da Índia na Caxemira na noite de domingo, matando um guarda de fronteira, disseram autoridades indianas, duas semanas depois de uma agressão semelhante ter matado 19 soldados e insuflado as tensões entre a Índia e o Paquistão.

O ataque ao campo em Baramulla, que ainda abriga uma unidade da Força de Segurança de Fronteira, começou perto das 22h30 (horário local) e foi seguido de troca de tiros.

Um guarda de fronteira foi morto e outro ficou ferido quando os militantes tentaram entrar no campo do Exército, disse o superintendente da polícia de Baramulla, Imtiyaz Hussein.

Os vizinhos Índia e Paquistão, ambos possuidores de armas nucleares, estão em conflito por causa da Caxemira desde sua independência, quase 70 anos atrás, tendo realizado duas de suas três guerras por causa da região do Himalaia – que ambos administram em parte, mas reivindicam integralmente.

Os bombardeios através da Linha de Controle, na prática a fronteira altamente militarizada que divide a Caxemira, continuaram nesta segunda-feira, e autoridades indianas disseram que quatro civis ficaram feridos do seu lado.

Os militares paquistaneses acusaram a Índia de dar início aos disparos nesta segunda-feira.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos