ING planeja cortar 7 mil empregos e investir em plataforma digital

AMSTERDÃ (Reuters) - O grupo ING planeja cortar 7 mil postos de trabalho e investir pesadamente em suas plataformas digitais para alcançar economias anuais de 900 milhões de euros até 2021, disse nesta segunda-feira a maior empresa de serviços financeiros da Holanda.

As demissões representam pouco menos de 12 por cento dos 52 mil trabalhadores do ING porque quase 1 mil devem vir de fornecedores em vez de a própria empresa.

Os cortes são os mais agressivos desde 2009, quando o ING foi forçado a reestruturar e cindir suas atividades de seguros depois de receber uma ajuda do governo durante a crise financeira.

Embora outros grandes bancos tenham anunciado demissões em massa nas filiais no ano passado para aumentar a rentabilidade, o ING disse que os cortes foram, em parte, para combinar as plataformas de tecnologia e centros de controle de risco, bem como para ajudá-lo a lidar com questões regulatórias e baixas taxas de juros.

"Você tem de anunciar esses programas e essas intenções em um momento em que você pode concedê-los", disse o presidente-executivo do ING, Ralph Hamers, a repórteres em uma teleconferência.

"Somos fortes agora, temos bons resultados, estamos crescendo e, assim, você tem que fazer os reparos, e não quando você não tem qualquer escolha mais."

(Reportagem de Toby Sterling)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos