Escândalo de e-mails do Yahoo desperta ira da Europa

LONDRES (Reuters) - A decisão do Yahoo de revistar as contas de e-mails de seus clientes por ordem das autoridades norte-americanas impulsionou dúvidas na Europa sobre um possível comprometimento dos dados de cidadãos europeus e poderia ajudar a descarrilar um novo pacto de compartilhamento de dados através do Atlântico.

A Reuters noticiou nesta terça-feira que o Yahoo cumpriu com uma exigência confidencial do governo norte-americano para pesquisar os e-mails de clientes em busca de informações específicas para autoridades da inteligência norte-americana.

O Comissariado de Proteção de Dados da Irlanda, o regulador líder na Europa em relação a assuntos de privacidade para o Yahoo, disse nesta quarta-feira que estava fazendo inquéritos sobre o assunto.

Os políticos europeus pediram que a Comissão Europeia, o órgão executivo da União Europeia, analise o problema e os advogados disseram que um desafio legal ao novo pacto de compartilhamento de dados entre UE e EUA, acordado no início deste ano, era mais provável agora na Europa.

"Qualquer forma de vigilância em massa seria vista como um assunto de preocupação considerável," disse o regulador em Dublin, onde está a sede do Yahoo na Europa, em comunicado.

O Yahoo disse em resposta à reportagem original da Reuters que era "uma empresa obediente à legislação e que cumpria com as leis dos Estados Unidos".

(Por Tom Bergin; reportagem adicional por Padraic Halpin, Eric Auchard e Julia Fiorretti)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos