Etiópia declara estado de emergência para restaurar a ordem depois de protestos

ADDIS ABABA (Reuters) - O primeiro-ministro da Etiópia, Hailemariam Desalegn, declarou um estado de emergência de seis meses no páis neste domingo, com o objetivo de restaurar a ordem depois de semanas de protestos que resultaram em mortes e danos em fábricas majoritariamente estrangeiras e fazendas de flores.

Na semana passada, os manifestantes também destruíram dezenas de veículos, somando baixas econômicas a um crescente número de mortes em uma onda de agitação sobre grilagem de terras e direitos.

"Um estado de emergência foi declarado porque a situação representava uma ameaça contra o povo do país", disse Hailemariam, na televisão estatal.

"O estado de emergência é vital. É essencial para restaurar a paz ea estabilidade ao longo de um curto período de tempo", disse ele, acrescentando que a coalização no poder Frente Democrática Revolucionária do Povo da Etiópia (EPRDF) estava olhando para reformas e planejando realizar conversações com partidos da oposição.

(Reportagem de Aaron Maasho)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos