Presidente filipino forma painel para investigar violência contra mídia e proteger imprensa

MANILA (Reuters) - O líder das Filipinas, Rodrigo Duterte, emitiu uma ordem administrativa para criar uma força-tarefa presidencial para proteger jornalistas e investigar ataques contra a mídia, em um dos países mais perigosos para a imprensa.

Uma unidade especial feita de ministros, policiais e autoridades da justiça e defesa devem gastar um mês compilando casos antes de iniciar investigações, disse o secretário de Comunicações Presidencial, Martin Andanar.

As Filipinas possuem um dos ambientes midiáticos mais liberais na Ásia, mas a violência contra jornalistas é comum e leva a assassinatos muitas vezes sem conclusão por falta de testemunhos.

"A razão pela qual o presidente quis esta ordem administrativa em primeiro lugar é porque ele se preocupa com vocês, conosco", disse Andanar durante entrevista coletiva nesta quinta-feira. "E ele acredita na liberdade da imprensa."

A ordem foi assinada por Duterte na terça-feira e inclui a formação de um painel para supervisionar acusações e juntar informações de fontes não-governamentais, como grupos de direitos humanos e jornalistas.

Diversos jornalistas foram mortos no país nas últimas três décadas, sendo muitas das vítimas locutores e jornalistas de rádio, muitas vezes usadas em nível de políticas de províncias, conhecidas por serem perigosas.

(Reportagem de Martin Petty)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos