China alerta sobre "forças hostis" tentando minar reforma militar

PEQUIM (Reuters) - O Exército chinês alertou nesta sexta-feira que "forças hostis" estavam tentando espalhar boatos online sobre a reforma em curso das Forças Armadas, com a saída de 300 mil soldados, e admitiu que alguns dos rumores estavam tendo um efeito prejudicial.

O presidente chinês, Xi Jinping, anunciou inesperadamente em setembro passado que gostaria de cortar o número de soldados em 300 mil, ou cerca de 13 por cento do maior Exército do mundo, de 2,3 milhões atualmente.

As demissões são parte de reformas mais amplas para modernizar as Forças Armadas, afastando-se do antigo módulo de comando da era soviética e colocando mais ênfase em armas de alta tecnologia.

Segundo o jornal oficial Diário do Exército de Libertação do Povo, rumores sobre as reformas estavam inundando sites de mídia social com todos os tipos de histórias sem fundamento, entre elas, de que soldados desmobilizados poderiam ter benefícios reduzidos.

(Reportagem de Ben Blanchard)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos