Negociadores concordam que Síria têm que decidir seu próprio futuro, segundo Rússia

MOSCOU (Reuters) - A Rússia afirmou que todos os negociadores em Lausanne concordam que os sírios devem decidir seu próprio futuro através de um diálogo inclusivo e que o país deve permanecer inteiro e secular, após a reunião encerrada sem avanços.

O Ministério das Relações Exteriores russo disse neste domingo que o sucesso de um cessar-fogo que facilite a ajuda humanitária depende da separação entre a oposição moderada da Síria e o Jabhat Fatah al Sham, anteriormente conhecido como a Frente Nusra, e dos demais "grupos terroristas" filiados a ele.

"Ao mesmo tempo, deve ser entendido que as operações contra os terroristas do Estado Islâmico e da Frente Nusra continuarão", afirmou o ministério.

As negociações de sábado, convocadas pelo secretário de Estado dos EUA, John Kerry, na cidade suíça, não chegaram a um acordo sobre uma estratégia comum com a Rússia para pôr fim ao conflito na Síria, agora com seis anos.

Kerry recebeu o chanceler russo, Sergei Lavrov, e sete chanceleres da região – de Irã, Iraque, Arábia Saudita, Turquia, Catar, Jordânia e Egito –  semanas após o colapso de um plano de cessar-fogo meticulosamente elaborado pelos russos e norte-americanos e visto por muitos como o último recurso de paz neste ano.

(Reportagem de Dmitry Solovyov)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos