Menor vazão em usinas do Nordeste até 2017 por seca impacta preço spot da energia

SÃO PAULO (Reuters) - Os preços da energia elétrica no mercado de curto prazo, ou spot, serão afetados a partir de novembro pela consideração de uma menor vazão nas hidrelétricas do Nordeste que deverá ser aplicada até dezembro de 2017, segundo despacho da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) no Diário Oficial da União desta terça-feira.

A agência aprovou que os modelos computacionais que calculam os preços spot da eletricidade, ou Preço de Liquidação das Diferenças (PLD), adotem já a partir do próximo mês procedimentos sugeridos pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) que incluem a consideração de uma vazão de 800 metros cúbicbros\segundo para as usinas de Sobradinho, Luiz Gonzaga, Paulo Afonso e Xingó até dezembro do próximo ano.

A adoção da medida, a partir do Programa Mensal da Operação de novembro, significa na prática impacto aos preços.

A vazão mínima nessas usinas, que costumava ser de 1.300 m³/s, foi reduzida devido à seca para guardar mais água nos reservatórios. O ONS chegou a recomendar um corte ainda maior da vazão, para 700 m³\s, mas segundo o órgão ainda há incertezas quanto à possibilidade de aplicação da medida, uma vez que os testes para implementação, que podem gerar problemas de abastecimento de água, ainda não tiveram data definida.

Segundo o ONS, as condições hidrológicas na bacia do rio São Francisco "estão sendo significativamente desfavoráveis desde 2013" e este ano deve se configurar como o pior do ciclo histórico de 85 anos registrado pelo órgão.

(Por Luciano Costa)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos