EUA querem que bancos estabeleçam padrões de cibersegurança mais altos

WASHINGTON (Reuters) - Reguladores bancários norte-americanos esboçaram nesta quarta-feira padrões de cibersegurança que devem proteger o mercado e consumidores de ataques online contra instituições financeiras líderes do país.

Os bancos devem usar as ferramentas antihackers mais sofisticadas do mercado e serem capazes de se recuperar de qualquer ataque dentro de duas horas, disseram autoridades aos repórteres sobre o plano.

As regras, que serão finalizadas após a entrada do setor, devem elevar a cibersegurança a status de principal prioridade para executivos e conselho, de acordo com as agências bancárias.

Os bancos com ativos de 50 bilhões de dólares ou mais devem atender as novas regras que serão concluídas nos próximos meses, de acordo com um comunicado do Federal Reserve, Escritório de Controle de Moedas e o Depósito de Seguros Federal.

O projeto prevê que aproximadamente 40 bancos e uma variedade de instituições financeiras não bancárias terão que cumprir com as regras finais.

"Será exigido que as entidades sejam capazes de operar funções críticas de seus negócios apesar de ciberataques", disseram os reguladores em comunicado.

(Por Patrick Rucker)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos