Van da polícia filipina avança sobre manifestantes em protesto anti-EUA

MANILA (Reuters) - A polícia filipina usou gás lacrimogêneo para dispersar cerca de 1.000 manifestantes anti-EUA do lado de fora da embaixada norte-americano em Manila nesta quarta-feira, e imagens de televisão mostraram uma van de patrulha avançando contra as pessoas.

O incidente acontece no momento em que o presidente Rodrigo Duterte visita Pequim para reforçar as relações com a segunda maior economia do mundo em meio à deterioração dos laços com a ex-potência colonial das Filipinas, os Estados Unidos, provocada pela guerra controversa contra drogas ilegais.

A polícia prendeu 29 pessoas no protesto, enquanto pelo menos 10 foram levadas ao hospital depois de terem sido atingidas pela van da polícia, disse Renato Reyes, secretário-geral do grupo ativista de esquerda Bayan (Nação), aos repórteres.

Os manifestantes estavam pedindo a retirada das tropas norte-americanas da ilha de Mindanao.

"Não havia absolutamente nenhuma justificativa (para a violência policial)", afirmou Reyes.

O porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Mark Toner, expressou compaixão aos feridos e desejou-lhes uma recuperação rápida. "Os EUA apoiam firmemente a democracia nas Filipinas e apoiam o direito à manifestação pacífica. Apelamos a todas as partes para estabelecer um diálogo pacífico", disse ele.

(Reportagem de Ronn Bautista e Neil Jerome Morales em Manila e David Brunnstrom em Washington)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos