Protesto contra ONU deixa 4 mortos na República Centro-Africana

BANGUI (Reuters) - Quatro civis foram mortos e 14 ficaram feridos na República Centro-Africana nesta segunda-feira, quando tropas de paz da Organização das Nações Unidas trocaram tiros com homens armados durante um protesto contra a presença militar da ONU, informou a organização.

Os confrontos ocorreram enquanto centenas de manifestantes estavam reunidos para pedir a retirada do país da missão da ONU, conhecida pela sigla Minusca. Uma testemunha da Reuters viu manifestantes que carregavam cartazes contra a ONU jogando pedras e gritando contra as tropas, que responderam com disparos de advertência.

Houve então uma troca de tiros entre as tropas e homens armados perto da multidão.

"A Minusca interveio nas primeiras horas da manhã de segunda-feira para desmontar barricadas erguidas pelos manifestantes", disse a missão em comunicado.

"A Minusca acredita que os acontecimentos de segunda-feira representam uma nova tentativa dos inimigos da paz de perturbar o retorno à normalidade constitucional", acrescentou a missão, dizendo ainda que cinco soldados da ONU estão entre os feridos.

O comunicado não deu informações específicas sobre as vítimas, mas o presidente da Cruz Vermelha do país, Antoine Mbao-Bogo, disse à Reuters mais cedo que três manifestantes foram mortos e seis ficaram feridos.

A República Centro-Africana vive um caos desde 2013, quando confrontos entre rebeldes muçulmanos e militantes cristãos levaram a ONU a criar uma missão de paz para ser enviada ao país.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos