Ativistas da privacidade lançam contestação legal a pacto de dados entre EUA e UE

BRUXELAS/WASHINGTON (Reuters) - Uma contestação legal foi apresentada por ativistas irlandeses de direito à privacidade sobre o pacto de transferência de dados entre Estados Unidos e União Europeia, apenas dois meses após o acordo entrar em vigor.

O escudo de privacidade EUA-UE foi firmado após o mais alto tribunal da UE ter derrubado o acordo anterior, devido à transferência de dados pessoais de europeus, por preocupações com a vigilância intrusiva dos Estados Unidos.

O acordo dá aos negócios que transferem dados pessoais pelo Atlântico - de recursos humanos à informações de pessoas que em sites de reservas de hoteis -uma forma mais fácil de fazê-lo sem infringir duras regras de transferências de dados da UE.

A Digital Rights Ireland desafiou a adoção do pacto pelo executivo da UE perante o segundo tribunal mais alto bloco, porque não contém proteções à privacidade adequadas, disseram pessoas familiarizadas com o assunto na quarta-feira.

Uma porta-voz do Tribunal Geral confirmou nesta quinta-feira que o grupo ativista busca a anulação da decisão do acordo.

A Digital Rights Ireland não quis comentar.

(Por Julia Fioretti e Dustin Volz)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos