Trump critica Hillary sobre comércio e diz que deveria ser declarado vencedor

Por Steve Holland e Jeff Mason

TOLEDO, Ohio/WINSTON SALEM, Carolina do Norte (Reuters) - O candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos, Donald Trump, criticou a adversária democrata Hillary Clinton na quinta-feira por suas propostas comerciais, dizendo que ela iria lidar tão mal com os acordos nessa área que o país deveria "simplesmente cancelar a eleição" e o declarar vitorioso.

Falando a apoiadores em Toledo, no Estado norte-americano de Ohio, Trump disse que o Tratado Norte-Americano de Livre Comércio (Nafta), assinado pelo ex-presidente Bill Clinton, marido de Hillary, levou à terceirização de milhares de empregos de Ohio para o México, prática que prometeu eliminar se for eleito presidente no dia 8 de novembro.

"Deveríamos simplesmente cancelar a eleição e dar a vitória a Trump, certo?", disse. "Por que a estamos sequer realizando? Suas propostas são tão ruins".

Trump disse acreditar que Hillary iria tentar aprovar a Parceria Transpacífica de 12 nações, acordo comercial símbolo do governo do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, para a Ásia ao qual ela hoje se opõe.

Os comentários de Trump vieram no momento em que o empresário de Nova York tenta melhorar sua posição fragilizada nas pesquisas de intenção de voto em meio a uma série de polêmicas e golpes autoinfligidos.

Ele teve dificuldade para lidar com a repercussão da divulgação de um vídeo de 2005 no programa "Access Hollywood" que mostra o então apresentador de reality show falando em um microfone ligado sobre apalpar mulheres e tentar seduzir uma mulher casada. O vídeo foi filmado poucos meses depois de o magnata se casar com sua terceira esposa, Melania.

Trump disse na quinta-feira que foi "certamente ilegal" a rede NBC divulgar a gravação, e deixou em aberto a possibilidade de entrar com uma ação legal contra a emissora depois da eleição.

Desde a exibição do vídeo, várias mulheres acusaram Trump de apalpá-las ou beijá-las sem seu consentimento. Ele classificou as alegações de "absolutamente falsas".

A última média de pesquisas do site RealClearPolitics mostrou Hillary com uma vantagem nacional de quase 6 pontos percentuais sobre Trump, turbinada pelo apoio declinante das mulheres à candidatura do republicano.

Sem ter provas, Trump atribuiu sua queda nas pesquisas a uma eleição manipulada, e disse que a mídia adulterou as pesquisas de opinião para inflar os números de Hillary.

Diversos estudos demonstraram que a fraude eleitoral é muito rara nos EUA, e vários correligionários proeminentes refutaram a alegação de Trump de que o sistema não é confiável.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos