Panasonic corta projeção de lucro após antecipar investimento de unidade de bateria para Tesla

TÓQUIO (Reuters) - A japonesa Panasonic cortou nesta segunda-feira sua projeção para o lucro anual após antecipar alguns investimentos em uma unidade de bateria para a montadora norte-americana Tesla Motors devido à expectativa por forte demanda por veículos elétricos.

A Panasonic fez uma parceria com a Tesla conforme a empresa se reinventa de uma fabricante de eletrônicos de baixo custo para fornecedora de baterias automotivas e outros produtos de alta tecnologia que têm como alvo clientes corporativos.

Desta forma, a empresa planeja contribuir com 1,6 bilhão de dólares para produzir células de bateria e armazenamento para veículos elétricos da Tesla.

"Nós estamos vendo uma forte demanda para (baterias) de veículos elétricos, não apenas da Tesla, mas de várias outras montadoras", disse o presidente-executivo, Kazuhiro Tsuga, em comentários sobre o balanço. "Nós vemos o negócio da bateria recarregável como o maior motivador de crescimento. Então, nós estamos agressivamente antecipando investimento estratégico aqui".

Antes dos comentários, a Panasonic informou que o lucro operacional de julho a setembro, sob o padrão contábil dos Estados Unidos, foi quase 40 por cento menor do que um ano antes e quase 14 por cento abaixo das estimativas de analistas.

A empresa reduziu sua projeção para o lucro no ano que termina em 31 de março, para 245 bilhões de ienes (2,33 bilhões de dólares), abaixo da projeção anterior de 310 bilhões de ienes, sob o padrão contábil internacional (IFRS) que será adotado no próximo ano.

A projeção da Thomson Reuters Starmine SmartEstimate com 16 analistas é de 297,30 bilhões de eienes.

(Por Makiko Yamazaki)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos