Microsoft diz que hackers ligados à Rússia exploraram falha no Windows

(Reuters) - A Microsoft disse nesta terça-feira que um grupo de hackers que já havia se relacionado antes com o governo russo e ataques políticos nos EUA está por trás dos recentes ciberataques que exploram uma falha no sistema operacional Windows.

A Microsoft disse que uma ferramenta para defender os usuários contra o ataque será lançada em 8 de novembro.

A fabricante de softwares disse que há um pequeno número de ataques usando os chamados emails de "spear fishing", golpe envolvendo emails de um grupo chamado de Strontium, ou mais amplamente conhecido como "Fancy Bear" ou APT 28.

A Microsoft não identificou vítimas dos ataques.

Um especialista norte-americano de inteligência em ciberatividade russa disse que o Fancy Bear trabalha primariamente para, ou a mando da GRU, agência de inteligência militar, a qual as agências de inteligência norte-americanas concluíram terem sido responsáveis por ataques às bases de dados e emails do partido Democrata.

A Microsoft disse que os ataques exploraram uma vulnerabilidade no software Flash, da Adobe e uma no sistema operacional Windows.

(Por Jim Finkle, John Walcott e Dustin Volz)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos