Obama diz que FBI não pode influenciar público com "insinuações"

Em Washington

  • Yuri Gripas/Reuters

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse ser importante que as investigações de forças do governo não permitam que sugestões ou insinuações influenciem a opinião pública, em seus primeiros comentários depois que o FBI anunciou a descoberta de novos emails possivelmente relacionados a uma investigação sobre a candidata democrata à Presidência dos EUA, Hillary Clinton.

Obama, que é democrata, disse em entrevista a uma emissora de rádio que não quer interferir no processo, após o FBI ter anunciado na sexta-feira que descobriu uma nova leva de emails que podem ter ligação com o uso por Hillary de um servidor privado de correspondência eletrônica para trabalhos do governo durante o período em que foi secretária de Estado.

O diretor do FBI, James Comey, disse que não está claro ainda se os emails são importantes. A decisão de Comey de anunciar a descoberta agitou a campanha presidencial 11 dias antes da eleição de 8 de novembro e resultou em duras críticas por parte de membros do Partido Democrata.

"Acredito que existe uma norma que quando há investigações nós não operamos com insinuações e não operamos com informação incompleta e não operamos com vazamentos", disse Obama na entrevista à rádio NowThisNews transmitida nesta quarta-feira.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos