Milhares de muçulmanos protestam contra governador de Jacarta por suposto insulto ao Alcorão

Por Fergus Jensen e Johan Purnomo

JACARTA (Reuters) - Dezenas de milhares de manifestantes muçulmanos da Indonésia protestaram diante do palácio presidencial nesta sexta-feira para exigir a renúncia do governador da capital, Jacarta, que dizem ter insultado o Alcorão.

A Indonésia é o país muçulmano mais populoso do mundo, onde muitas pessoas seguem uma forma moderada do islamismo. Embora ativistas tenham causado tumultos ocasionais anteriormente, manifestações tão amplas são raras.

A atmosfera estava tensa em Jacarta, e algumas empresas pediram aos funcionários que trabalhassem em casa. O acesso aos bairros de negócios foi restringido, e as embaixadas pediram cautela.

Caminhões repletos de soldados e policiais, alguns equipados com fuzis, estavam de patrulha, e outros protegiam shopping centers. Um total de cerca de 18 mil agentes de segurança devem ser acionados na vasta cidade de 10 milhões de habitantes, disse a polícia.

Os manifestantes, liderados por um grupo chamado Frente de Defensores Islâmicos, está pedindo que o governador de Jacarta, Basuki Tjahja Purnama, cristão e primeiro chinês étnico no cargo, seja preso por blasfêmia.

Eles afirmam que ele insultou o Alcorão ao minimizar um ataque político de seus opositores, que exortaram os muçulmanos a não votarem em Purnama, conhecido popularmente como Ahok, citando um verso do livro sagrado do islamismo.

"Ele não é muçulmano, mas humilhou o Corão", disse o manifestante Muhammad Said à Reuters. "Não se refira a nada no Corão, especialmente interpretando-o incorretamente... peço a Deus que o prenda".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos