Turquia diz que carro-bomba em Diyarbakir foi trabalho de militantes curdos, não Estado Islâmico

ANCARA (Reuters) - O carro-bomba que matou 11 pessoas e feriu 100 na província curda de Diyarbakir na sexta-feira foi obra de militantes curdos e não de Estado islâmico, disse o gabinete do governador local.

Após o ataque na sexta-feira, o Estado Islâmico assumiu a responsabilidade pelo carro-bomba, segundo a agência de notícias Amaq.

Mas o gabinete do governador de Diyarbakir disse em um comunicado no sábado que estava "claro" que a bomba era obra do ilegal Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), citando comunicações interceptadas entre militantes do PKK.

(Reportagem de Umit Bektas e Tuvan Gumrukcu)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos