Índia acusa bombardeios do Paquistão por morte de 2 soldados na fronteira com Caxemira

SRINAGAR, Índia (Reuters) - O exército indiano culpou bombardeios paquistaneses pela morte neste domingo de dois de seus soldados em postos ao longo da fronteira da Caxemira administrada pela Índia, onde outros cinco ficaram feridos, incluindo três civis.

A Índia disse que, em retaliação, destruiu vários postos do Paquistão na fronteira.

As trocas de artilharia e os conflitos entre os dois países se intensificaram nos últimos meses ao longo da fronteira que atravessa a disputada região da Caxemira, no Himalaia.

A disputa sobre a Caxemira desencadeou duas das três guerras entre a Índia e o Paquistão, ambas potências nucleares, desde sua separação e independência da Grã-Bretanha em 1947.

"Estamos dando uma resposta apropriada. (Nós) os atingiremos onde mais machuca", disse o tenente-coronel Manish Mehta, porta-voz da defesa indiana.

"É um ato muito pouco profissional do exército paquistanês atacar nossas áreas residenciais."

Na quinta-feira, o Paquistão acusou oito diplomatas indianos de espionagem e terrorismo. Nova Délhi rejeitou as alegações, definindo-as como "infundadas e sem justificativas".

Há dez dias, ambos os países expulsaram um diplomata da embaixada de cada lado, sob acusações de espionagem.

(Por Fayaz Bukhari)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos