Hillary recebe impulso no último dia de campanha com decisão favorável do FBI

Por John Whitesides

WASHINGTON (Reuters) - A candidata democrata Hillary Clinton entrou nesta segunda-feira no último dia de uma acirrada corrida pela Casa Branca contra o republicano Donald Trump com uma nova força após o anúncio do FBI de que não vai haver acusações formais contra ela em uma investigação sobre seus emails.

Hillary e Trump irão passar o dia percorrendo os Estados-chave que podem decidir o resultado da eleição presidencial de terça-feira, que, de acordo com pesquisas, será apertada, mas com vitória de Hillary.

O diretor do FBI, James Comey, gerou repercussões na corrida presidencial ao dizer ao Congresso, no domingo, que investigadores trabalharam "dia e noite" para completar uma revisão sobre novos emails de Hillary descobertos recentemente e não encontraram razão para alterar a decisão de julho, que mostrava que Hillary não é culpada de quaisquer atos criminais no seu uso de um servidor privado de email enquanto secretária de Estado.

É incerto se o anúncio acontece a tempo de reverter os danos de dias de ataques republicanos contra Hillary devido à polêmica. Dezenas de milhões de norte-americanos já votam há dez dias, desde que Comey falou pela primeira vez ao Congresso sobre os emails descobertos.

Aliados democratas de Hillary esperam que o anúncio do FBI seja suficiente para encerrar as incertezas e os ataques republicanos que afetaram a campanha, enquanto a equipe de Trump aposta que o estrago já foi feito.

"Nada vai mudar entre hoje e amanhã par ajudar (Hillary) a ganhar de volta eleitores indecisos", disse a gerente da campanha de Trump, Kellyanne Conway, no programa "Good Morning America", da rede ABC.

Trump, que não disse se irá aceitar o resultado da eleição de terça-feira, questionou a profundidade da investigação do FBI, e disse que a questão não irá desaparecer.

Hillary não mencionou a investigação do FBI durante seus dois eventos de campanha no domingo.

"Isto está no nosso passado agora", disse o gerente de campanha da candidata democrata, Robby Mook, à CNN nesta segunda-feira.

Nesta segunda-feira, Trump irá passar por cinco Estados-chave --Flórida, Carolina do Norte, Pensilvânia, New Hampshire e Michigan--, e fechar o dia com um evento em Grand Rapids, Michigan.

Hillary irá fazer duas paradas na Pensilvânia e visitar Michigan antes de um evento em Raleigh, na Carolina do Norte. Ela irá participar também de um evento no Hall da Independência da Filadélfia com o presidente Barack Obama e a primeira-dama, Michelle Obama, além do músico Bruce Springsteen.

Índices futuros das bolsas dos EUA subiam mais de 1 por cento após o anúncio do FBI, e o dólar norte-americano se fortaleceu no mercado asiático em relação a outras grandes moedas.

Notícias da investigação aparentemente impulsionaram uma recente perda de terreno de Hillary nas pesquisas. O levantamento Reuters/Ipsos mais recente mostrou liderança de 5 pontos percentuais de Hillary sobre Trump, com 44 por cento a 39 por cento nacionalmente, enquanto corridas em Estados-chave como Flórida e Carolina do Norte se tornaram difíceis de prever.

Pesquisas ABC/Washington Post e CBS News divulgadas nesta segunda-feira mostraram Hillary com 4 pontos percentuais de vantagem sobre Trump.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos