Lula se reúne com bancada petista e defende combate à "criminalização" do PT

SÃO PAULO (Reuters) - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se reuniu nesta segunda-feira com 48 deputados federais do PT em um hotel em São Paulo e pediu que a bancada petista combata o que chamou de "criminalização" do PT, durante o encontro em que os parlamentares do partido defenderam a "resistência" à PEC dos gastos.

A reunião também serviu para discutir o futuro do partido, e o que alguns defendem é a renovação das lideranças do PT, partido que tem sido alvo de um tsunami de más notícias, especialmente ligadas à operação Lava Jato, que resultaram no fracasso do partido nas eleições municipais deste ano.

“Não tem sentido darem o golpe que deram neste país e deixarem o PT livre para disputar com eles nas próximas eleições”, disse Lula segundo o site do PT, se referindo ao impeachment neste ano da ex-presidente Dilma Rousseff.

“Temos que lutar contra a criminalização do PT e dos movimentos sociais”, acrescentou o ex-presidente.

Lula é réu em duas ações penais ligadas à Lava Jato, que investiga um bilionário esquema de corrupção na Petrobras, e em uma outra ligada à operação Janus, mais voltada à construtora Odebrecht.

O ex-presidente nega ter cometido quaisquer irregularidades e seus advogados afirmam que Lula é alvo de perseguição política. Lideranças petistas, entre elas o presidente do PT, Rui Falcão, afirmam que há uma tentativa de "interditar" Lula politicamente para impedir que ele dispute as eleições presidenciais em 2018.

Durante o encontro com Lula, os parlamentares petistas também prometeram combater a Proposta de Emenda à Constituição que estabelece um limite para o crescimento dos gastos públicos, que já foi aprovada na Câmara e tramita agora no Senado.

A PEC é considerada o principal tema na agenda legislativa do presidente Michel Temer.

“Tratamos da conjuntura, dos desafios postos no PT, seja do ponto de vista do tratamento da crise política, do impeachment, da agenda regressiva do governo Temer, seja da renovação que o PT precisa viver para se colocar novamente como um partido capaz de apresentar um projeto de inclusão para o Brasil, de país generoso”, disse o líder do PT na Câmara, Afonso Florence (BA), em entrevista coletiva após a reunião.

“Tratamos profundamente sobre como se renovará as lideranças do partido, e há um grande consenso da bancada com o presidente Rui e o presidente Lula de que no encontro e possivelmente num futuro Congresso, convocados possivelmente por consenso, encontraremos uma solução que arme o partido para enfrentar os temas polêmicos”, acrescentou o líder.

(Por Eduardo Simões)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos