Software queniano acompanhará eleição nos EUA

NAIRÓBI (Reuters) - O software que rastreou a ajuda ao terremoto no Haiti, eleições na Índia e abusos sexuais no Egito está enfrentando um novo desafio: quaisquer relatos de violência, intimidação ou fraude na eleição norte-americana.

O Ushahidi, que significa "testemunha" no idioma Swahili, do Quênia, está coletando dados nos 50 Estados em que o candidato republicano, Donald Trump, e a candidata democrata, Hillary Clinton, estão concorrendo.

O presidente-executivo do Ushahidi, Daudi Were, disse à Reuters que sua organização, não prevê violência, mas queria garantir que as preocupações dos eleitores fossem ouvidas.

Trump alertou repetidamente que a votação poderia ser fraudada nos EUA, uma acusação negada por seus oponentes.

As pessoas podem enviar relatos por telefone, email ou Twitter, disse ele. A equipe usa contatos locais ou fontes online com boa reputação para separar e verificar relatos. Eles podem enviar relatos ao Comitê de Proteção da Eleição, uma organização de monitoramento não partidária que envia especialistas legais à áreas de disputa.

(Por Katharine Houreld)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos