Lady Gaga, Miley Cyrus e outras celebridades lamentam derrota de Hillary

(Reuters) - Lady Gaga pediu gentileza, Miley Cyrus não segurou as lágrimas, Madonna prometeu nunca desistir e Katy Perry exortou os norte-americanos a não chorarem depois que o republicano Donald Trump surpreendeu o mundo derrotando a franca favorita Hillary Clinton na eleição presidencial dos Estados Unidos.

As celebridades, muitas das quais fizeram campanha para Hillary, ficaram chocadas ao ver Trump eleito ao final de uma campanha longa e agressiva, na noite de terça-feira.

Em prantos, Miley publicou um vídeo nas redes sociais nesta quarta-feira dizendo que não dormiu por causa da derrota da ex-senadora. Mas a cantora de "Wrecking Ball", que tem 23 anos e que mais cedo neste ano disse que deixaria o país se o magnata vencesse, pediu união, dizendo "Donald Trump, eu aceito você como presidente dos Estados Unidos... por favor, trate as pessoas com compaixão e respeito".

Lady Gaga foi à Trump Tower de Manhattan no início desta quarta-feira e postou uma selfie no Instagram segurando um pôster de campanha com a frase "Love trumps hate" ('O amor supera o ódio', em trocadilho com o nome do vencedor).

"Quero morar em um #PaísDeGentileza #OAmorSuperaOÓdio. Ele nos dividiu tão displicentemente. Vamos cuidar uns dos outros agora", disse.

Atores, comediantes e cineastas de Hollywood demonstraram seu apoio a Hillary durante a campanha.

De acordo com o Center for Responsive Politics, fontes da indústria do entretenimento doaram 22 milhões de dólares para a campanha e para grupos de apoio à democrata até 19 de outubro -- as contribuições do meio a Trump foram de menos de 290 mil dólares, relatou a revista especializada Variety nesta semana.

Cher, que no início da campanha afirmou que se mudaria para Júpiter se Trump fosse eleito, escreveu no Twitter: "O mundo nunca mais será o mesmo. Sinto-me triste pelos jovens". Ela não fez menção a uma mudança dos EUA.

Katy Perry, que cantou em vários comícios de Hillary, disse "Não fiquem parados. Não chorem. Mexam-se. Não somos uma nação que irá deixar o ÓDIO nos guiar".

"Um Novo Fogo Se Acendeu. Jamais Desistimos. Jamais Cedemos", escreveu Madonna no Twitter.

Mesmo sendo britânica, a escritora J.K. Rowling, criadora de "Harry Potter, se envolveu em uma discussão no Twitter depois de exortar seus seguidores a desafiar "o" racismo, a misoginia e o ódio".

Mas Trump também encontrou defensores no showbusiness.

"Parabéns presidente Trump! @realDonaldTrump contra todas as probabilidades e até contra o Partido Republicano. Você conseguiu!", tuitou Kirstie Alley, ex-atriz da série "Cheers".

O ator Stephen Baldwin, irmão do astro Alec Baldwin, do programa humorístico "Saturday Night Live", tuitou dizendo estar "orgulhoso por ter sido parte de uma história tão sensacional".    

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos