Trump vence em Ohio e trava batalha acirrada com Hillary em outros Estados-chave dos EUA

Por John Whitesides e Steve Holland

(Reuters) - O candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos, Donald Trump, venceu no Estado-chave de Ohio nesta quarta-feira e está à frente da democrata Hillary Clinton em vários outros Estados que, no entanto, ainda estão indefinidos, incluindo Flórida e Carolina do Norte, em uma surpreendentemente acirrada disputa pela Casa Branca.

O dólar despencou e os mercados acionários da Ásia tinham uma operação turbulenta nesta quarta com os primeiros dados da apuração indicando uma disputa apertada e investidores correndo para portos seguros.

Bônus soberanos e o ouro operavam em alta, enquanto o peso mexicano estava em queda livre com os mercados enfrentando a possibilidade de uma vitória de Trump. Investidores temem que uma vitória do empresário nova-iorquino traga incerteza econômica e global.

Com a votação encerrada em 44 dos 50 Estados norte-americanos, a disputa estava apertada na Flórida, Carolina do Norte, Pensilvânia e New Hampshire, deixando acirrada a corrida pela Casa Branca.

A vitória de Trump em Ohio, com 18 votos no Colégio Eleitoral, e sua vantagem na Flórida e na Carolina do Norte dão a ele uma vantagem na disputa Estado a Estado para conquistar os 270 votos no Colégio Eleitoral necessários para vencer a eleição.

Hillary tem mais opções para atingir essa marca, enquanto Trump precisa de uma virada em cerca de seis Estados-chave para vencer. Mas vitórias de Trump nesses três Estados colocariam uma enorme pressão para Hillary vencer em todos os demais Estados-chave, incluindo Pensilvânia, Michigan e Nevada ou New Hampshire.

Ambos os candidatos conquistaram vitórias em Estados onde se esperava que vencessem. Trump conquistou Estados conservadores do Sul e do Meio-Oeste, enquanto Hillary ficou com vários Estados na Costa Leste e Illinois e no Meio-Oeste.

Depois de travar uma disputa acirrada com Trump na Virginia, Hillary conquistou a vitória neste Estado-chave, reduto eleitoral do candidato a vice da democrata, senador Tim Kaine.

Hillary reconheceu que a disputa estava inesperadamente apertada, após as pesquisas lhe darem a vantagem antes do dia da eleição. Ela usou sua conta no Twitter para afirmar: "Essa equipe tem muito do que se orgulhar. Independentemente do que acontecer nesta noite, obrigada por tudo".

Até às 1h35 de quarta-feira (horário de Brasília), Trump tinha 167 votos no Colégio Eleitoral, contra 131 de Hillary. As emissoras de TV dos EUA haviam projetado os vencedores em 31 dos 50 Estados norte-americanos e de Washington D.C..

Em pesquisa divulgada antes do dia da eleição, Hillary aparecia com 44 por cento da preferência do eleitorado, contra 39 por cento de Trump na última pesquisa Reuters/Ipsos. O levantamento Reuters/Ipsos Estados da Nação dava à democrata 90 por cento de chance de vencer o republicano e ser a primeira mulher eleita presidente dos EUA.

O controle do Congresso dos Estados Unidos também está em disputa na eleição desta terça. As emissoras projetaram que os republicanos manterão o controle da Câmara dos Deputados, cujas 435 cadeiras estão em disputa.

No Senado, onde os republicanos defendem uma estreita maioria de apenas quatro cadeiras, os democratas conquistaram uma vitória importante em Illinois, impedindo a reeleição de um republicano, mas os candidatos republicanos conseguiram se reeleger na Flórida e em Ohio.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos