Rússia diz ter mantido contato com campanha de Trump durante eleição

Por Andrew Osborn

MOSCOU (Reuters) - O governo da Rússia manteve contato com membros da equipe política do presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, durante a campanha de eleição e conhece a maior parte de sua comitiva, disse um dos mais experientes diplomatas russos à agência de notícias Interfax nesta quinta-feira.

Acusado pela rival derrotada, a democrata Hillary Clinton, de ser um fantoche do presidente russo, Vladimir Putin, após elogiar este último, Trump refutou as insinuações de que teve algo a ver com o governo de Moscou durante a campanha.

Mas o vice-ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Ryabkov, fez comentários que podem acabar sendo politicamente constrangedores para o novo presidente norte-americano ao revelar que de fato houve alguma comunicação.

"Houve contatos", afirmou Ryabkov, segundo a Interfax. "Estamos fazendo isso e o fizemos durante a campanha eleitoral."

Tais contatos irão continuar, acrescentou, dizendo que o governo russo conhece e vem tratando com muitos dos aliados mais próximos de Trump – mas sem mencionar nomes.

"Obviamente, conhecemos a maior parte da comitiva (de Trump). Estas pessoas sempre estiveram sob os holofotes nos Estados Unidos e ocuparam posições de alto escalão", disse.

"Não posso dizer que todas elas, mas que diversas delas vêm mantendo contato com representantes russos".

Moscou está só começando a estudar como fará para estabelecer canais mais formais para se comunicar com o futuro governo Trump, contou Ryabkov.

Uma porta-voz de Trump não respondeu de imediato a um pedido de comentário.

Nos últimos meses, o FBI realizou um inquérito preliminar sobre alegações de que Trump ou seus associados podem ter tido relações questionáveis com pessoas ou empresas russas, mas não encontrou indícios que justificassem a abertura de uma investigação de fato, de acordo com fontes a par do assunto. A agência federal não discutiu publicamente o inquérito.

O governo dos EUA culpou a Rússia por ataques cibernéticos a organizações do Partido Democrata.

Trump, que já falou de seu desejo de melhorar as relações conturbadas entre seu país e a Rússia, disse que pode se encontrar com Putin antes da posse, mas o porta-voz do líder russo disse que atualmente não existem planos para tal reunião.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos