Trump vê premiê japonês como aliado contra influência da China na Ásia, diz assessor

Por Tim Kelly

TÓQUIO (Reuters) - O encontro na semana que vem entre o presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, com o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, pode marcar o início de diálogos para obter apoio do Japão contra a crescente influência da China na Ásia, disse um assessor de segurança de Trump.

Comentários da campanha de Trump, incluindo uma demanda para que o Japão pague mais para manter forças dos EUA em seu território, geraram preocupações em Tóquio de que haveria problemas na aliança de segurança com Washington, base de sua defesa desde a Segunda Guerra Mundial, perante uma China crescente e uma volátil Coreia do Norte.

Uma postura mais forte contra a China, no entanto, e um pedido para que o Japão tenha um papel de segurança maior por meio de um eixo Trump-Abe, iria de encontro às políticas mais agressivas de Abe, que incluem a permissão para que o Exército opere com maior liberdade no exterior.

Abe irá se encontrar com Trump em Nova York na quinta-feira, antes de seguir para a cúpula de Cooperação Econômica Ásia-Pacífico, no Peru.

Trump busca que o Japão "tenha um papel mais ativo na Ásia", disse seu assessor, que se negou a ser identificado porque não tinha autorização para falar com a mídia, à Reuters.

Abe, segundo o assessor, é "uma figura numa posição única para oferecer liderança na aliança".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos