GP do Brasil é paralisado por chuvas e batidas

SÃO PAULO (Reuters) - O Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1, com o potencial de decidir o título mundial de pilotos, foi paralisado neste domingo, pela segunda vez, após uma largada com safety car em um circuito encharcado pela chuva e uma série de batidas.

A largada foi atrasada em 10 minutos por causa das condições ruins, com o tricampeão mundial Lewis Hamilton, da Mercedes, liderando o pelotão a partir da pole position, em uma nuvem de água atrás do safety car.

O carro de segurança foi à pista para as primeiras sete voltas, e o sueco Marcus Ericsson trouxe-o de volta na volta 13, ao bater sua Sauber em uma das barreiras, parando na entrada do pit lane.

A corrida foi retomada no fim da volta 19, mas Kimi Raikkonen, da Ferrari, rodou e bateu na parede na reta dos boxes, momentos depois, quase levando o colega Sebastian Vettel consigo.

"Isso é ruim, simplesmente estúpido", disse Vettel, que rodou na volta 10 e ficou de frente aos carros entre o spray de água, no rádio.

"Precisamos de bandeira vermelha, precisamos parar a corrida. Quantos pessoas vão precisar bater? Eu quase bati em Kimi no meio da reta, não conseguia ver nada", acrescentou o tetracampeão.

As bandeiras vermelhas foram mostradas segundos depois.

Hamilton, que está a 19 pontos de distância do colega de Mercedes, Nico Rosberg, a uma corrida do fim depois do Brasil, tinha 3,1s de vantagem sobre o companheiro de equipe quando a corrida foi paralisada pela primeira vez.

Na segunda vez que a bandeira vermelha foi mostrada, quase 30 voltas tinham sido completadas.

(Por Alan Baldwin)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos