Merkel pede que alemães defendam país tolerante

BERLIM (Reuters) - A chanceler alemã, Angela Merkel, pediu nesta segunda-feira que os alemães defendam um país tolerante, alertando que a vitória de Donald Trump nas eleições norte-americanas poderia inflamar o debate sobre refugiados na Alemanha.

Trump chamou de insana a decisão de Merkel de permitir que mais de um milhão de imigrantes entrassem na Alemanha e afirmou que isso havia aumentado o crime.   

“Nós todos somos chamados agora a colocar as nossas cartas na mesa e defender uma Alemanha aberta”, disse Merkel à imprensa quando perguntada sobre o impacto da vitória de Trump no debate sobre imigração na Alemanha.

“A dignidade de cada ser humano é inviolável, independentemente da religião, origem, orientação sexual e outras características, como por exemplo gênero”, declarou Merkel.

"Isso é o que nos guia. Isso também é o que nós defendemos.”

O vice-chanceler alemão, Sigmar Gabriel, chamou Trump de “o pioneiro de um novo movimento internacional autoritário e chauvinista”.

A expectativa geral é que Merkel dispute um quarto mandato nas eleições de setembro próximo, e, embora o partido conservador dela esteja cerca de dez pontos na frente do rival mais próximo, a política de portas abertas para os imigrantes irritou muitos eleitores.

O partido de direita Alternativa pela Alemanha, que adota uma retórica dura contrária a imigrantes, está tirando apoio dos partidos tradicionais.

(Reportagem de Michael Nienaber)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos