Premiê da Itália sugere que pode deixar cargo caso referendo não seja aprovado

ROMA (Reuters) - O primeiro-ministro da Itália, Mateo Renzi, sugeriu nesta segunda-feira que pode não continuar no cargo caso um referendo sobre reforma constitucional defendido por ele não seja aprovado.

Questionado em entrevista a uma rádio o que faria caso o "não" vença no referendo de 4 de dezembro, ele disse: "se eu tiver que ficar no Parlamento e fazer o que todos fizeram antes de mim, ou seja, me arrastar e apenas flutuar lá, isto não me serve".

Pesquisas de opinião sugerem que o premiê de 41 anos pode perder o referendo, o qual, no caso de vitória do "sim", irá reduzir o papel do Senado e cortar poderes de governos regionais.

Em outros momento, o premiê disse que renunciaria em caso de derrota. Mais recentemente, ele se negou a confirmar isso categoricamente, dizendo que conversas sobre seu futuro desviam atenção dos méritos da reforma.

(Reportagem de Philip Pullella)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos