Turquia pode colocar conversações com UE e pena de morte em referendo no ano que vem

ANCARA (Reuters) - A Turquia pode realizar no ano que vem um referendo sobre continuar ou não conversações com a União Europeia sobre a entrada no bloco, disse nesta segunda-feira o presidente turco, Tayyip Erdogan, repetindo seu alerta a Bruxelas de que é necessário "chegar a uma decisão" sobre a adesão turca.

Em discurso feito em Ancara e transmitido na TV, Erdogan pediu para os turcos serem pacientes até o final do ano e então disse que um referendo pode ser feito sobre a adesão à União Europeia.

Erdogan também disse que irá aprovar a restauração da pena de morte, ato que provavelmente terminaria com quaisquer esperanças turcas de entrar na UE, caso o Parlamento aprove a lei, e disse que isto também seria parte de um referendo.

A Turquia deve realizar uma eleição nacional sobre mudanças constitucionais no ano que vem, incluindo aumento de poderes do gabinete de Erdogan para criar um sistema presidencial similar ao dos Estados Unidos e França.

(Reportagem de Ece Toksabay e Tuvan Gumrukcu)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos