Ex-governador do RJ Garotinho é preso pela PF em investigação de fraude eleitoral

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O ex-governador do Rio de Janeiro Anthony Garotinho (PR) foi preso nesta quarta-feira dentro de casa na capital fluminense como parte de uma operação que investiga supostas fraudes eleitorais em um programa social que pode ter sido usado para a compra de votos na eleição municipal em Campos dos Goytacazes, no norte do Estado.

Agentes da PF também cumpriram um mandado de busca e apreensão na residência de Garotinho, que ocupa atualmente o cargo de secretário de Governo da prefeitura de Campos. A cidade tem como prefeita sua mulher e também ex-governadora, Rosinha Garotinho.

“A diligência faz parte da Operação Chequinho, que investiga a ação de uma associação criminosa montada com o objetivo de fraudar as últimas eleições no município”, disse a Polícia Federal em comunicado.

A defesa do ex-governador contestou a prisão, que foi determinada pela Justiça Eleitoral de Campos, e disse que vai recorrer da decisão para tentar um habeas corpus.

“A prisão a qual está submetido o ex-governador é abusiva e ilegal e decorre de sua constante denúncia de abusos de maus tratos a pessoas presas ilegalmente naquela comarca... A Justiça certamente não permitirá que este ato de exceção se mantenha contra Garotinho”, disse em nota o advogado de defesa Fernando Augusto Fernandes.

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos