Novos ataques aéreos matam pelo menos 32 em Aleppo, diz organização de monitoramento

Por Ellen Francis

BEIRUTE (Reuters) - Ataques aéreos atingiram áreas em volta de um hospital infantil e um banco de sangue no leste de Aleppo, região controlada pelos rebeldes, nesta quarta-feira, no segundo dia do novo bombardeio em que pelo menos 32 pessoas morreram, disseram uma organização de monitoramento da guerra, médicos e agentes de emergência.

Os ataques aéreos são parte de um aumento mais abrangente das ações militares do governo sírio e seus aliados, incluindo a Rússia, que disparou mísseis de forma coordenada contra rebeldes na terça e pela primeira vez usou o seu porta-aviões.

O Observatório Sírio para os Direitos Humanos, uma organização que monitora a guerra e tem base no Reino Unido, declarou que os ataques aéreos no leste de Aleppo mataram somente nesta quarta 21 pessoas, incluindo cinco crianças e um agente que trabalhava no serviços de emergência. Eles foram realizados por aviões russos ou sírios, disse a organização.

O Observatório disse que foram atingidos, entre outros, os distritos al-Shaar, al-Sukkari, al-Sakhour e Karam al-Beik.

Os ataques aéreos também continuavam na zona rural a oeste de Aleppo, de onde rebeldes lançaram ofensivas contra áreas do governo. Um ataque contra a vila de Batbo matou pelo 19 pessoas, incluindo três crianças, de acordo com o Observatório.

Moscou nega os relatos de que seus aviões dispararam contra Aleppo na nova de onda de bombardeios e afirma que cumpre uma suspensão de ataques aéreos à cidade.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos