Trump se gaba de contatos com líderes estrangeiros no Twitter e critica mídia

Em Washington

  • Carlo Allegri/Reuters

O presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, usou sua conta de Twitter nesta quarta-feira (16) para refutar reportagens sobre problemas em sua equipe de transição, criticando em especial o jornal "New York Times" por dizer que líderes de todo o mundo têm tido dificuldades para contatá-lo.

Trump, cujo uso agressivo do Twitter contra rivais foi um elemento-chave de sua campanha presidencial, tuitou uma lista de diversos líderes mundiais com os quais conversou desde sua vitória surpreendente na eleição presidencial de 8 de novembro.

"Recebi e aceitei ligações de muitos líderes estrangeiros, apesar do que o equivocado @nytimes disse. Rússia, Reino Unido, China, Arábia Saudita, Japão", disse o republicano e magnata do setor imobiliário em uma postagem matutina na rede social.

"Austrália, Nova Zelândia e mais. Estou sempre disponível para eles. O @nytimes só está aborrecido por terem parecido tolos na cobertura a meu respeito", continuou Trump.

 

Ele se concentrou no New York Times, seu alvo frequente no Twitter, porque o diário afirmou que os aliados dos EUA estão "correndo para descobrir como e quando contatar o senhor Trump".

"A reportagem equivocada do @nytimes está totalmente errada a respeito da transição", tuitou. "Está correndo muito tranquilamente. Além disso, conversei com muitos líderes estrangeiros."

Na noite de terça-feira, Trump defendeu sua equipe de transição em meio a reportagens segundo as quais o time está desordenado, atrasado e assolado por disputas internas.

"Processo muito organizado acontecendo enquanto decido o gabinete e muitas outras posições", escreveu Trump no Twitter. "Sou o único que sabe quem são os finalistas!"

Durante sua campanha, o presidente eleito atacou reportagens da mídia que achou desfavoráveis e visou o "New York Times" com frequência, referindo-se à publicação como "equivocada" ao mesmo tempo em que concedia entrevistas regulares a seus repórteres.

Nesta quarta-feira, o "New York Times" noticiou que os presidentes do Egito e de Israel conseguiram contatar Trump rapidamente, mas que a primeira-ministra britânica, Theresa May, teve de esperar 24 horas até conseguir fazê-lo.

Na semana passada ele falou com o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, que na quinta-feira será o primeiro líder estrangeiro que Trump irá encontrar como presidente eleito.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos