Coreia do Sul rejeita pedido do Google para retirar dados de mapeamento do país

SEUL (Reuters) - A Coreia do Sul disse nesta sexta-feira que rejeitou o mais recente pedido do Google para usar dados governamentais de mapeamento em servidores fora do país, citando questões de segurança que envolvem a Coreia do Norte.

O Google disse que precisa usar os dados em servidores ao redor do mundo para viabilizar serviços que dão direções a usuários a pé e a motoristas na Coreia do Sul.

"Estamos decepcionados com esta decisão", disse o porta-voz do Google, Taj Meadows, acrescentando que a empresa permanece com a esperança de que possa fornecer ao povo coreano o conjunto completo de serviços do Google Maps no futuro.

A Coreia do Sul argumenta que se tais dados podem deixar o país, as localização de instalações militares e outros locais sensíveis expostos.

O governo poderia conceder a permissão se o Google remover imagens de locais sensíveis de seu serviço de imagens por satélite, disse uma autoridade do órgão responsável pelos dados de mapeamento anteriormente.

Mas o Google rejeitou esta condição, dizendo que a informação está amplamente disponível em imagens de satélite que podem ser compradas livremente.

(Por Joyce Lee e Se Young Lee; reportagem adicional por Hyunjoo Jin)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos