Ditador filipino Marcos é enterrado em cemitério de heróis em meio a protestos

Por Manuel Mogato e Karen Lema

MANILA (Reuters) - O ex-ditador filipino Ferdinand Marcos foi enterrado com honras militares em um cemitério de heróis localizado em Manila nesta sexta-feira, quase trinta anos após sua morte no Havaí, em meio a protestos isolados nos arredores da capital.

Muitos nativos das Filipinas estão revoltados pela maneira como a família de Marcos fez segredo da ocasião do enterro, incluindo a vice-presidente, Leni Robredo, que comparou a cerimônia a um "assalto na calada da noite".

"Isso não é novidade para os Marcos --eles que esconderam riqueza, esconderam abusos de direitos humanos e agora esconderam o enterro-- com total desrespeito pelo Estado de Direito", disse Robredo, que pertence a um partido político anti-Marcos, em um comunicado.

Em agosto, o presidente filipino Rodrigo Duterte, que participa atualmente da cúpula da Cooperação Econômica Ásia-Pacífico em Lima, no Peru, deu ordens liberando o enterro e cumprindo uma promessa de campanha.

Mas a cerimônia só ocorreu depois de um veredicto da semana passada da Suprema Corte que rejeitou as objeções de grupos de direitos humanos.

"Eu só fui legalmente rigoroso a respeito disso", disse Duterte na capital peruana, defendendo sua decisão de permitir o sepultamento.

"O presidente Marcos foi presidente por um certo tempo e foi soldado. Então é isso. Se ele se saiu melhor ou pior, não há estudo, não há filme a esse respeito. São só as contestações e alegações do outro lado, o que não basta".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos