Ex-presidente da Andrade Gutierrez volta atrás e nega propina à chapa Dilma-Temer

(Reuters) - O ex-presidente da empreiteira Andrade Gutierrez Otávio Marques de Azevedo mudou a versão dada anteriormente em depoimento ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e agora afirma que não houve pagamento de propina para a campanha da chapa Dilma Rousseff e Michel Temer na eleição presidencial de 2014, segundo reportagens publicadas em jornais nesta sexta-feira.

Azevedo havia dito ao TSE em setembro que uma contribuição de 1 milhão de reais para a campanha de Dilma e Temer era proveniente de propina paga em março de 2014, antes do período eleitoral, ao diretório nacional do PT.

Em novo depoimento prestado na quinta-feira, no entanto, Azevedo "retificou" sua versão e afirmou ter se confundido quanto à natureza da doação, que teria sido lícita, segundo advogados de defesa e de acusação que presenciaram o novo depoimento, disseram os jornais.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos