Malásia oficializa que não irá sediar GP de Fórmula 1 depois de 2018

KUALA LUMPUR (Reuters) - A Malásia não irá mais sediar um Grande Prêmio de Fórmula 1 depois que seu contrato atual expirar em 2018, informou o ministro do Turismo e da Cultura malaio nesta segunda-feira.

"Depois de 2018, acabou", disse Nazri Abdul Aziz aos repórteres no parlamento depois de ser indagado sobre os relatos de que o país estava cogitando desistir da corrida anual.

"(Da) perspectiva de mais longo prazo, provavelmente é a decisão correta, porque está mais caro e não é mais tão atraente", acrescentou o ministro.

A Malásia vinha estudando cancelar a prova devido à queda na venda de ingressos e na audiência televisiva.

Mais cedo nesta segunda-feira, o diretor da F1, Bernie Ecclestone, já havia lançado dúvidas sobre o futuro do esporte no sudeste da Ásia dizendo a uma revista alemã que Cingapura não quer mais sediar um GP depois que seu contrato atual vencer no final do ano que vem.

O Grande Prêmio da Malásia aconteceu pela última vez em outubro, quando o piloto australiano Daniel Ricciardo conquistou sua primeira vitória da temporada.

A estatal de petróleo e gás Petronas é a patrocinadora da corrida de F1 em Kuala Lumpur, e nos últimos tempos foi prejudicada pela redução nos preços do petróleo.

    (Por Joseph Sipalan)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos