Trump irá se encontrar com New York Times após reclamações e cancelamento

WASHINGTON (Reuters) - O presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, irá se encontrar nesta terça-feira com jornalistas do The New York Times, disse uma porta-voz horas após o republicano publicar em sua conta no Twitter que iria cancelar o encontro.

Trump planeja seguir para o prédio do Times, disse a porta-voz do presidente eleito Hope Hicks a repórteres, sem dar mais detalhes. Anteriormente, Trump disse no Twitter que cancelou o encontro após o jornal tentar mudar os termos acordados. O Times informou que foi Trump quem tentou mudar os termos, pedindo que todo o encontro fosse feito "em off", jargão jornalístico para uma conversa em que a fonte das informações não é identificada.

A ação acontece um dia após o republicano se encontrar com âncoras da TV, executivos e repórteres da indústria de notícias em Nova York, em sessão que o Washington Post descreveu como controversa mas em geral respeitosa.

Trump destacou reportagens de sua campanha feitas pela CNN e NBC que considerou injustas, relatou o Post, citando quatro participantes do encontro. O ato ilustra a relação complicada de Trump com a imprensa.

Como candidato presidencial, Trump foi rápido em criticar coberturas noticiosas de que discordava, apesar de ter se mantido acessível a vários jornalistas, incluindo vários do Times. Em certo momento, ele baniu o Post, Buzzfeed e Politico de receberem credenciais para participar de seus eventos após coberturas que foram críticas a ele.

"Cancelei o encontro de hoje com o enfraquecido @nytimes quando os termos e condições do encontro foram alterados no último momento. Não foi legal", disse Trump em publicação no Twitter.

"Talvez um novo encontro seja organizado com o @nytimes. Nesse meio tempo, eles continuam me cobrindo de forma imprecisa e com um tom desagradável", escreveu em outra publicação.

Uma porta-voz do Times disse que o jornal não tinha conhecimento do cancelamento até as publicações de Trump, feitas por volta das 6h30, no horário local. A equipe de Trump tentou mudar condições do encontro na segunda-feira, perguntando se seria feito "em off", mas o jornal se recusou, disse a porta-voz Eileen Murphy.

"No final, concluímos com eles que iremos voltar ao plano original de uma pequena sessão 'em off' e uma sessão maior 'em on', com participação de repórteres e colunistas", disse Eileen em comunicado.

Trump não realiza uma entrevista coletiva tradicional para falar sobre suas prioridades desde sua eleição, em 8 de novembro.

(Reportagem de Doina Chiacu e Susan Heavey)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos