Britânico obcecado por nazismo pega prisão perpétua por assassinato de parlamentar

Por Michael Holden

LONDRES (Reuters) - Um homem obcecado por nazistas e por ideias de extrema-direita foi condenado à prisão perpétua nesta quarta-feira pelo assassinato da parlamentar britânica Jo Cox durante um ataque frenético em plena rua que chocou o Reino Unido uma semana antes do referendo de separação do país da União Europeia.

Thomas Mair, de 53 anos, atirou em Cox três vezes e esfaqueou repetidamente a política de 41 anos e mãe de dois filhos pequenos no distrito eleitoral dela, no norte da Inglaterra.

Durante o ataque de 16 de junho, ele gritou "o Reino Unido primeiro" e "mantenham o Reino Unido independente", como foi dito em seu julgamento, e quando foi preso disse aos policiais ser um ativista político.

O assassinato abalou o país, rendeu condolências de líderes de todo o mundo e levou a uma suspensão de vários dias da campanha que precedeu o referendo, que vinha se tornando cada vez mais agressiva e manchada por recriminações pessoais.

Mair se recusou a se declarar inocente ou culpado e tampouco se defendeu durante o julgamento no tribunal de Old Bailey, que foi tratado como um caso de terrorismo.

Ele só pediu para se pronunciar depois de o júri emitir um veredicto unânime de culpa, mas o juiz Alan Wilkie recusou.

"Você não é um patriota", disse Wilkie. "Com suas ações, você traiu a quintessência de nosso país: o respeito à democracia parlamentar".

Mair, que não tinha ficha criminal, também foi condenado por agressão corporal grave por ter esfaqueado um homem de 77 anos que socorreu Cox durante o ataque.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos