Promotores pedem 2 anos de prisão para Neymar por transferência para o Barcelona

MADRI (Reuters) - A Procuradoria espanhola pediu nesta quarta-feira uma pena de prisão de 2 anos para o atacante do Barcelona Neymar por seu envolvimento em um caso de corrupção relacionado à transferência do jogador do Santos para o Barcelona em 2013, de acordo com um documento da Justiça.

O promotor José Perals também pediu uma condenação de 5 anos para o ex-presidente do Barça Sandro Rosell e uma multa de 8,4 milhões de euros para o clube, mas pediu que as acusações contra o atual presidente do clube, Josep Maria Bartomeu, sejam retiradas.

O caso deriva de uma ação aberta pelo fundo brasileiro DIS, que era proprietário de 40 por cento dos direitos federativos do jogador e que afirma ter recebido menos dinheiro do que tinha direito na transferência, já que o Barcelona ocultou o valor real da contratação.

Representantes do DIS disseram também nesta quarta-feira que solicitaram penas de até 5 anos de prisão para Neymar, o pai do jogador, Bartomeu e Rosell, sem especificar quantos anos para cada um.

Em um comunicado para informar sobre a apresentação da acusação ante o juiz que conduz o caso na Justiça espanhola, o DIS diz que pediu a inabilitação profissional de todos os acusados e o pagamento de uma multa de 195 milhões de euros a ser paga pelo Barcelona.

O CEO das empresas de Neymar, Altamiro Bezerra, disse por telefone à Reuters que os representantes do jogador estão tranquilos, uma vez que o processo já foi arquivado uma vez.

"Não recebemos nenhum tipo de intimação ou comunicado oficial, não tem nada. Estamos muito tranquilos com relação a isso, porque não tem nada novo, já foi arquivado uma vez, e agora o Ministério Público precisa apresentar os seus motivos para rebarir a ação", disse Bezerra.

"Todo processo ainda vai ter que transcorrer, o Ministério Público apresenta os argumentos para reabrir, o juiz decide se reabre e vai ouvir a parte da acusação e da defesa também, o processo ainda vai se arrastar", acrescentou.

Representantes do Barcelona não estavam disponíveis de imediato para comentar.

A contratação de Neymar pelo Barcelona é cercada de polêmica desde 2013. Rosell renunciou à presidência do clube em 2014 por seu envolvimento na transação e prestou depoimento em um tribunal em fevereiro deste ano ao lado de Bartomeu, Neymar e o pai do atacante.

O clube fechou um acordo com os procuradores em junho para encerrar um caso separado e pagou multa de 5,5 milhões de euros para evitar um julgamento sob acusação de evasão fiscal.

O Barça considerava ter resolvido a questão quando um juiz arquivou o caso em junho, mas os procuradores públicos da Espanha conseguiram reverter a decisão em setembro, permitindo que o caso prossiga.

O DIS acusa o Barcelona de ter acertado a contratação de Neymar por baixo dos panos em 2011, quando o atacante ainda jogava no Santos, ao oferecer um pagamento de 40 milhões de euros aos jogador.

Apesar de o Barça ter informado inicialmente que a contratação de Neymar havia custado 57,1 milhões de euros, o clube reconheceu mais tarde que a quantia total se aproximou de 100 milhões de euros.

(Reportagem de Rodrigo de Miguel e Richard Martin; Reportagem adicional de Pedro Fonseca, no Rio de Janeiro)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos