Rali no minério e corte de gastos dão tempo para Vale repensar venda de ativos

Por Christian Plumb

NOVA YORK (Reuters) - A mineradora Vale, maior produtora de minério de ferro do mundo, está aproveitando os recentes ganhos nos preços de metais e minerais e o sucesso das medidas de cortes de gastos para repensar o ritmo do plano de venda de ativos para reduzir a dívida, disseram executivos nesta terça-feira.

Melhores preços de realização de minério e maiores taxas de recuperação na produção podem ajudar a Vale a gerar 2,2 bilhões de dólares no próximo ano em fluxo de caixa livre --o dinheiro que resta para obrigações e acionistas após o pagamento de todos os gastos--, acelerando os planos de redução de dívidas, disse o presidente Murilo Ferreira a investidores da companhia em Nova York.

Os preços do minério de ferro na bolsa de Dalian subiram cerca de 180 por cento no ano.

Ferreira e outros executivos esperam em breve o anúncio de diversos desinvestimentos não revelados que poderiam ajudar a Vale a cortar a dívida líquida para uma faixa de 15 bilhões a 17 bilhões de dólares no próximo ano.

No ano passado, em meio a um declínio nos preços do minério e do metal, Ferreira estipulou uma meta de eliminar ativos não essenciais para ajudar a reduzir a dívida em 10 bilhões de dólares até 2017.

"A mensagem chave é que estamos em uma posição muito mais confortável para pensar melhor sobre os desinvestimentos", disse o diretor financeiro da Vale, Luciano Siani, durante o mesmo evento. "Não devemos nos enganar, temos que continuar buscando essa meta incansavelmente."

Os comentários ressaltam a estratégia de Ferreira de tornar a Vale uma competidora de custo competitivo em um mercado abalado pela desaceleração global e pela sobrecapacidade da indústria de aço nos últimos anos.

Com os preços das commodities se recuperando à medida que o novo ano se aproxima, sua tática está tendo retorno mais rápido do que o esperado e está permitindo à Vale evitar vender unidades, que poderiam adicionar crescimento à medida que a economia mundial se recupera.

Além disso, esses esforços estão reduzindo a necessidade da Vale por gastos de capital nos próximos anos.

A companhia reduziu o orçamento para investimentos planejados para 4,5 bilhões de dólares no próximo ano e para 2,9 bilhões de dólares em 2021, ante 5,6 bilhões de dólares neste ano.

PRODUÇÃO DE MINÉRIO

A mineradora Vale estima elevar sua produção de minério de ferro para uma faixa entre 360 milhões e 380 milhões de toneladas em 2017, ante 340 milhões a 350 milhões em 2016, disseram executivos da companhia.

A produção deverá subir também em 2018 e 2019, estacionando na faixa de 400 milhões a 450 milhões de toneladas anuais em 2020 e 2021, segundo a apresentação.

(Com reportagem adicional de Guillermo Parra-Bernal, Roberto Samora e Gustavo Bonato, em São Paulo)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos