Apoiadores de Trump tentam impedir recontagem em três Estados dos EUA

WASHINGTON/NOVA YORK (Reuters) - Os apoiadores do presidente eleito Donald Trump agiram nesta sexta-feira para manter as apertadas vitórias republicanas em três Estados, buscando ações legais para deter os pedidos do Partido Verde para recontagem dos votos.

O Partido Verde vem pedindo recontagens dos resultados da eleição de 8 de novembro nos Estados de Michigan, Pensilvânia e Wisconsin, que contrariaram seu histórico de apoio aos democratas e preferiram o republicano por uma pequena margem. O partido vem dizendo que sua iniciativa tem por objetivo garantir a integridade do sistema de votação dos EUA, não alterar o resultado eleitoral.

Mesmo que as recontagens aconteçam, é extremamente improvável que mudem o resultado geral da eleição, na qual Trump derrotou a democrata Hillary Clinton. A candidata do Partido Verde, Jill Stein, que só obteve cerca de 1 por cento dos votos, disse que a campanha pela recontagem não tem Trump nem Hillary como alvo.

O procurador-geral do Estado de Michigan, Bill Schuette, republicano, disse na sexta-feira que apresentou uma ação judicial para interromper a recontagem solicitada em seu Estado.

A corrida presidencial é decidida pelo Colégio Eleitoral, ou uma somatória das disputas Estado a Estado, e não pelo voto popular.

Trump ultrapassou de longe os 270 votos no colégio eleitoral necessários para vencer, e a recontagem teria que reverter o desfecho a favor de Hillary nos três Estados para mudar o resultado geral. No voto popular, ela obteve 2,5 milhões de votos a mais que Trump, de acordo com a publicação Cook Political Report.

Os advogados da campanha de Trump agiram para impedir o pedido de recontagem de votos na Pensilvânia e em Michigan, de acordo com documentos do judiciário nos dois Estados.

Em Wisconsin, onde a recontagem já está em andamento, um comitê de ação política pró-Trump, o Great America PAC, entrou com uma ação em um tribunal federal também na quinta-feira tentando impedir uma nova contagem estadual. A ação citou como precedente legal a decisão da Suprema Corte no caso Bush versus Gore, que encerrou a recontagem da Flórida e a eleição no ano 2000.

O Partido Republicano de Wisconsin também entrou com processo contra a tentativa de recontagem no Estado, informou a entidade.

Os advogados de Hillary disseram que irão participar do esforço de recontagem em Wisconsin para que sua campanha seja legalmente representada, e que fariam o mesmo na Pensilvânia e em Michigan se necessário.

   (Por Susan Heavey, David Shepardson e David Ingram)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos