COI cobra Tóquio 2020 a finalizar orçamento para impedir aumento de gastos

Por Elaine Lies

TÓQUIO (Reuters) - O Comitê Olímpico Internacional (COI) cobrou urgência de Tóquio para a finalização do orçamento para os Jogos Olímpicos de 2020, destacando que os custos continuarão aumentando à medida que o tempo passar.

Em um encontro aberto na terça-feira do grupo de trabalho formado por quatro partes, incluindo o COI, os organizadores da Tóquio 2020 prometeram manter os custos abaixo de 20 bilhões de dólares, mas a autoridade olímpica indicou que mesmo este custo seria alto demais.

Uma revisão de orçamento feita pela governadora de Tóquio, Yuriko Koike, que assumiu em julho, indica que os custos podem ultrapassar 26,36 bilhões de dólares, mais de quatro vezes a estimativa inicial dada por Tóquio ao receber o direito de sediar os Jogos.

O vice-presidente do COI, John Coates, em Tóquio para um encontro com os organizadores olímpicos, disse em entrevista coletiva que existem maneiras de Tóquio, que sediará os Jogos pela segunda vez, reduzir ainda mais os custos.

"O COI não vai assinar um orçamento que pensamos ser acima do necessário para o custo dos Jogos", disse.

Tóquio é uma cidade cara em termos de aluguel para arenas existentes e outros custos, mas ele disse que ainda há possibilidades existentes, e quanto mais rápido decisões forem feitas, melhor.

"Pode haver economias significativas feitas em segurança e muitas outras áreas caso os processos tenham início antes", acrescentou. "Quanto mais demorar para entrar em contratos, mais caro os contratos serão".

Organizadores de Tóquio disseram nesta semana que irão elaborar um orçamento final até o final do ano.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos