Duran Duran perde batalha legal por direitos autorais de canções nos EUA

LONDRES (Reuters) - Duran Duran, banda pop britânica dos anos 1980, não poderá recuperar os direitos autorais norte-americanos de alguns de seus maiores sucessos, decidiu um tribunal britânico nesta sexta-feira.

Canções como "Rio", "Girls on Film" e "A View to a Kill", tema de um dos filmes de James Bond, estão entre as faixas protegidas por direitos autorais que, segundo a corte, devem permanecer com a empresa Gloucester Place Music, cuja proprietária é a Sony/ATV, e não com a banda.

"Estamos chocados que a lei de contrato inglesa esteja sendo usada para reverter os direitos de artistas em outro território", disse o fundador do grupo, Nick Rhodes, à rede BBC.

"Assinamos um acordo de publicação como adolescentes ingênuos, mais de três décadas atrás, quando estávamos só começando e não tínhamos noção das coisas". Ele disse que o veredicto irá estabelecer um precedente ruim para outros compositores.

A banda havia enviado alertas legais à Gloucester Place Music citando leis de direito autoral dos Estados Unidos, o que argumenta ter lhe dado um "direito inalienável" de pedir que os direitos autorais de seus próprios trabalhos lhes sejam restituídos após 35 anos. Mas o juiz decidiu que a lei contratual inglesa os impede de fazê-lo.

O Duran Duran foi formado por Nick Rhodes e John Taylor no final dos anos 1970, e chegou ao auge da fama com Simon Le Bon nos vocais. Com a reputação de serem queridos pela princesa Diana, eles venderam mais de 60 milhões de discos e ganharam os prêmios Grammy, Brit e Ivor Novello.

    (Por Adela Suliman)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos