Mercosul envia carta suspendendo Venezuela do bloco

BRASÍLIA (Reuters) - O Mercosul suspendeu a Venezuela por não cumprir suas obrigações de adesão ao bloco econômico, de acordo com uma cópia de uma carta oficial enviada a Caracas na sexta-feira e vista pela Reuters.

No documento, endereçado à ministra das Relações Exteriores da Venezuela, Delcy Rodríguez, o Mercosul informa a Venezuela sobre a "cessação do exercício dos direitos inerentes a um país-membro".

Após uma década de forte crescimento econômico e políticas de esquerda ao redor da América do sul que levaram o Mercosul a abraçar a Venezuela, a suspensão agora enfatiza a divisão ideológica na região, que sofre com a queda nos preços das commodities e com a fragilidade econômica.

A decisão do bloco também isola ainda mais o governo do presidente venezuelano, Nicolás Maduro, que é acusado de exacerbar as crises política, econômica e humanitária que assolam o país.

Para reingressar ao Mercosul --bloco formado por Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai--, a Venezuela terá de renegociar os termos de sua participação de acordo com as regras comerciais e de imigração do bloco.

A Venezuela disse ao bloco que cerca de 130 normas, que inclui um acordo sobre direitos humanos, são "inadmissíveis". Isso sinaliza que qualquer negociação para uma readmissão deve ser tensa e levar anos, disse uma autoridade brasileira envolvida nas negociações com a Venezuela.

"Eles não poderão reingressar no bloco se houver alguma coisa que vá fundamentalmente contra o Mercosul", disse a autoridade, que pediu por anonimato para poder falar livremente sobre o assunto.

A Venezuela entrou no Mercosul em 2012.

(Reportagem de Alonso Soto)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos