Primeiro-ministro da Nova Zelândia renuncia inesperadamente

Por Charlotte Greenfield e Swati Pandey

WELLINGTON (Reuters) - O primeiro-ministro da Nova Zelândia, John Key, que recebeu elogios por sua liderança após a crise financeira global, anunciou inesperadamente sua renúncia nesta segunda-feira, depois de oito anos no poder, e declarou apoio ao ministro das Finanças para ser seu sucessor.

Bill English, vice-premiê e ministro das Finanças, disse que iria provavelmente decidir durante a noite se vai ou não buscar a liderança do Partido Nacional em um encontro especial em 12 de dezembro.

Key, popular ex-trader de câmbio que cresceu em habitações estaduais, estava no terceiro mandato de três anos, marcados por estabilidade política e reformas econômicas.

Ele disse a repórteres que irá ficar no Parlamento tempo suficiente para que seu partido evite uma eleição para seu assento. Eleições nacionais não são esperadas até o final de 2017.

Key disse que votaria em English caso ele se candidate a líder partidário e primeiro-ministro.

English é um veterano político que trabalhou previamente como analista político do Departamento do Tesouro e deve continuar muitas das reformas de Key, segundo analistas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos