Dólar cai e vai abaixo de R$3,40, de olho em cena política

Por Claudia Violante

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar operava em queda nesta quarta-feira, indo abaixo de 3,40 reais, com os investidores mais aliviados com o cenário político após forte estresse na véspera que envolveu a presidência do Senado.

Às 12:26, o dólar cedia 0,55 por cento, a 3,3978 reais na venda, depois de bater 3,3733 reais na mínima do dia. O dólar futuro operava em baixa de cerca de 0,40 por cento nesta manhã.

"O mercado está muito especulativo, volátil. Poucos dias atrás, o dólar estava em 3,38 reais, logo depois, encostou em 3,45 reais. Qualquer evento novo, o humor vira", comentou o diretor da mesa de câmbio da corretora Multi-Money, Durval Correa.

Nesta tarde, o Supremo Tribunal Federal (STF) analisa a decisão liminar que afasta o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) da presidência do Senado. Na véspera, Renan se recusou a assinar a notificação da decisão do ministro Marco Aurélio Mello, do STF, mas apresentou recurso contra a liminar.

A Mesa Diretora do Senado informou que não acatará a decisão liminar até que o plenário do STF se manifeste. O substituto imediato de Renan no comando da Casa é o primeiro vice-presidente do Senado, Jorge Viana (PT-AC), que pertence a um partido de oposição ao governo de Michel Temer.

O temor dos mercados era de que, com a confusão, a pauta econômica do governo não caminhasse no Congresso Nacional, sobretudo a votação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que limita o crescimento dos gastos públicos, prevista para a próxima semana no Senado.

Nesta sessão, o mercado se tranquilizou um pouco mais com a notícia, publicada pelo jornal Folha de S.Paulo, de que teria sido fechado acordo entre o STF e o Senado pode manter Renan na presidência da Casa e contornar a crise política.

Também ajudava no bom humor a notícia de que, caso o STF afastasse mesmo Renan, Viana teria sinalizado que pode renunciar, também segundo a Folha de S.Paulo. Se isso acontecer, a presidência do Senado seria ocupada pelo senador Romero Jucá (PMDB-RR), parte do governo.

Em entrevista à rádio CBN, Viana negou a possibilidade de renunciar de seu cargo caso Renan seja afastado, mas afirmou que espera que o STF encontre um caminho para manter Renan na presidência do Senado, mas retirá-lo da linha sucessória da Presidência da República, uma vez que se tornou réu um ação no próprio Supremo.

"Com o Jucá, teoricamente as coisas acontecerão como já era para acontecer antes desse imbróglio político", comentou um operador de uma corretora nacional.

No exterior, o dólar cedia ante divisas de emergentes, como pesos mexicano e chileno e o rand sul-africano o que ajudava a trajetória de baixa da moeda norte-americana por aqui.

O Banco Central vendeu integralmente nesta manhã o lote de 15 mil contratos de swap cambial tradicional, equivalente à venda futura de dólares, para rolagem do contratos com vencimento em janeiro.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos