Trump deve nomear executivo do Goldman Sachs para cargo econômico importante

WASHINGTON (Reuters) - O presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, provavelmente pedirá para um executivo sênior do banco Goldman Sachs que coordene a política econômica de toda a administração, recorrendo novamente a Wall Street em busca de experiência para a gestão da maior economia do mundo, disse uma autoridade de transição nesta sexta-feira.

A escolha por Trump do presidente do Goldman, Gary Cohn, de 56 anos, para dirigir o Conselho Econômico Nacional da Casa Branca (NEC, na sigla em inglês) deve ocorrer apesar das críticas passadas de Trump sobre o poder do setor financeiro.

Trump criticou o Goldman e seu presidente-executivo, Lloyd Blankfein, durante a campanha presidencial, publicando um anúncio de TV que classificou Blankfein como parte de uma "estrutura de poder global" que roubava a classe trabalhadora de América.

A mensagem anti-Goldman irritou parte de Wall Street, apesar de vários integrantes do banco terem papéis importantes na campanha de Trump e destinados a altos postos de administração.

O NEC coordena a política econômica entre agências e tem um papel-chave para a promessa de Trump de impulsionar a economia após anos de morno crescimento.

Cohn, que também é vice-presidente sênior de operações do Goldman, é um dos mais respeitados executivos de Wall Street e deve seguir os ex-executivos do Goldman Robert Rubin e Stephen Friedman no comando do NEC.

(Reportagem de Steve Holland)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos