Chefe de Direitos Humanos da ONU alerta que "massacre" de Aleppo pode ocorrer em outros lugares

GENEBRA (Reuters) - O chefe de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU), Zeid Ra'ad al Hussein, pediu nesta terça-feira que a comunidade internacional peça à Síria para permitir monitoramento do tratamento de pessoas que deixam o leste de Aleppo, alertando que populações de outras cidades tomadas por rebeldes podem enfrentar o mesmo destino.

"O esmagamento de Aleppo, o número imensamente aterrorizante sobre seu povo, o derramamento de sangue, a matança desenfreada dos homens, mulheres e crianças, a destruição -e não estamos em nenhum lugar perto do fim deste conflito cruel", disse Zeid em comunicado.

"O que está acontecendo em Aleppo pode se repetir em Douma, em Raqqa, em Idlib. Não podemos deixar isto continuar."

De acordo com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), citando uma fonte médica anônima, muitas crianças desacompanhadas, possivelmente mais de 100, estão presas em um prédio que está sob forte ataque em área sitiada no leste de Aleppo.

"De acordo com relatos alarmantes de um médico na cidade, muitas crianças, possivelmente mais de 100, desacompanhadas ou separadas de suas famílias, estão presas em um prédio sob forte ataque no leste de Aleppo", disse em comunicado o diretor regional da Unicef Geert Cappalaere.

(Reportagem de Tom Miles e Stephanie Nebehay)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos