Carta de demissão de Moreira Franco está pronta, mas não foi entregue, dizem fontes

Por Leonardo Goy

BRASÍLIA (Reuters) - O secretário-executivo do Programa de Parcerias de Investimentos, Moreira Franco, está com a carta de demissão pronta, disseram à Reuters fontes do governo, mas não a apresentou ao presidente Michel Temer.

De acordo com as fontes, a carta é uma formalidade para ser usada caso o presidente acredite que a presença no governo de Moreira Franco, citado na delação de ex-executivo da Odebrecht, passe a constranger o governo.

Neste momento, no entanto, a avaliação no Palácio do Planalto é que não há razões para a saída de Moreira ou do ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha.

Ambos foram citados pelo ex-diretor de Relações Institucionais da Odebrecht, Cláudio Melo Filho, como arrecadadores do PMDB. Moreira Franco é um dos líderes do PMDB mais próximos a Temer.

O secretário-executivo do PPI divulgou uma nota curta, afirmando que não abandona lutas nas quais acredita.

"Estou dedicado a colaborar no lançamento das medidas microeconômicas e no fortalecimento do programa de concessões. Não abandono lutas quando acredito nelas", disse Moreira Franco, segundo seu assessor.

(Reportagem adicional de Lisandra Paraguassu, em Brasília, e Rodrigo Viga Gaier, no Rio de Janeiro)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos